EDILA  |  LOJA VIRTUAL  |  TUDO SOBRE CERTIFICAÇÃO  |  PRÊMIO GESTÃO BANAS  |  BANAS METROLOGIA  |  FALE CONOSCO  |  EXPEDIENTE
Banas Qualidade
Portal Banas Qualidade
Revista Banas Qualidade
Qualidade em Destaque
Notícias da Qualidade   |   Artigos da Qualidade   |   Jornal BQInternational   |   Guia de Empresas   |   Prêmios   |   Cursos de Qualidade
Untitled Document

PORTAL BANAS QUALIDADE :: CONTEUDO » Revista
Sistema APPCC: garantindo a produção de alimentos seguros =ht

A indústria alimentícia possui um processo complexo, integrado e global de produção, processamento, distribuição, vendas e consumo e vem tendo um crescimento vertiginoso nos últimos anos no mundo todo, devido aos hábitos de consumo das pessoas que estão mudando drasticamente, cada vez mais comendo fora de casa. Nos grandes centros, cerca da metade das refeições é servida dessa maneira e, quando comem em casa, querem alimentos como menos trabalho e tempo para serem preparados, além de qualidade e preços justos. Dessa forma, em 1959, a Pillsbury Company desenvolveu o sistema de segurança alimentar Hazard Analysis Critical Control Points (HACCP), em cooperação com o exército americano, em resposta a uma solicitação da Nasa para garantir que os alimentos consumidos no espaço fossem totalmente seguros. No Brasil, o sistema passou a ser obrigatório e a se chamar Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC). É um sistema preventivo que busca a produção de alimentos inócuos, estando embasado na aplicação de princípios técnicos e científicos na produção e manejo dos alimentos desde o campo até a mesa do consumidor.

O aumento de casos de toxinfecções alimentares tem levado vários países a se tornarem mais exigentes quanto à segurança na produção e na importação de alimentos, e por isso é necessário dar ênfase ao desenvolvimento da implementação de medidas preventivas para o controle desses riscos, com a colaboração de autoridades governamentais e os setores responsáveis da indústria de alimentos. Com o sistema APPCC ou HACCP surgiu um processo científico que representa o que há de mais moderno na atualidade, e que tem por finalidade construir a inocuidade nos processos de produção, manipulação, transporte, distribuição e consumo dos alimentos. Os países do Primeiro Mundo começaram a aplicar o sistema HACCP para assegurar a inocuidade do pescado, carnes e derivados e, num futuro muito breve, esse sistema deverá se estender a todos os alimentos.
Ellen Lopes, diretora da Food Design, explica que, em função da demanda de verificação da veracidade das informações dos estudos de HACCP, se torna necessário estabelecer sistemas de certificação ou validação. Dessa forma, a ABNT instalou uma comissão responsável por estabelecer uma norma brasileira para servir de base para certificação, a qual será equivalente às normas já publicadas em outros países.
Na sua opinião, isso se tornou fundamental para o setor alimentício, pois, em março de 2001, o New York Times publicou um artigo mostrando a crescente preocupação das autoridades americanas com o problema de toxinfecções alimentares. Esse número vem crescendo, a despeito da evolução tecnológica, especialmente devido a novos hábitos incorporados pela população: maior consumo de alimentos crus e uso de microondas, entre outros. Ainda segundo esse artigo, o Center for Disease Control and Prevention (CDC), estima que nos Estados Unidos, a cada ano, se registram em torno de 5 mil mortes, 32 mil hospitalizações e cerca de 76 milhões de pessoas afetadas por doenças veiculadas por alimentos.

"Além da perda de vidas humanas, há que se considerar os aspectos econômicos decorrentes. Para ilustrar a gravidade desse aspecto, podemos ver na Tabela 1 uma estimativa do Food and Inspection Service, dos Estados Unidos, sobre as perdas ocasionadas por doenças de origem alimentar provocadas por contaminação com patógenos. As cifras atingem a ordem de 1,1 milhão a 4,1 bilhões de dólares por ano, e isso considerando somente produtos derivados de carne e frango", acrescenta.
Ellen informa que a implantação efetiva desse sistema vem sendo exigida pelos maiores importadores de alimentos do mundo e é considerada pelo Codex Alimentarius como a melhor ferramenta de gestão da segurança dos alimentos. Vale notar que essa instituição é reconhecida pela Organização Mundial do Comércio como o órgão responsável pela normalização de alimentos. "Relatório de reunião recente da Organization for Economic Cooperation and Development, uma organização não-governamental que congrega 30 países-membros, entre os quais os países da Comunidade Européia, apontou que a adoção do sistema HACCP, além de ser um método para melhorar a segurança dos alimentos, é considerado um dos requisitos mais importantes para acordos bilaterais ou multilaterais, quando se deseja garantir a equivalência entre sistemas de controle e inspeção de alimentos. O Canadá, os Estados Unidos e a Comunidade Européia, os maiores países importadores do mundo, estão exigindo tanto dos fabricantes locais como dos de produtos importados que o HACCP seja implantado. Em alguns segmentos, como no caso dos pescados e produtos cárneos, produtores que não têm infra-estrutura ou capacidade de implantar o HACCP têm seu acesso bloqueado a vários mercados."
No Brasil, a exigência de implantação do HACCP é legal para pescados desde 1993 e para outros produtos de origem animal desde 1997 e 1998. No âmbito do Ministério da Saúde a sua exigência como instrumento de fiscalização sanitária foi estabelecida já em 1993. "Uma conseqüência desse cenário é a demanda por sistemas de avaliação e verificação da veracidade das informações trocadas por importadores, exportadores, autoridades legais e organizações em geral. A sistemática de avaliação mediante auditoria é considerada a forma mais eficaz para determinação de equivalência entre parceiros comerciais, capaz de prover confiança às partes envolvidas", assegura a consultora.

Ver Tabela 01

Sete princípios
Em 1989 o National Advisory Committee on Microbiological Criteria for Foods, (NACMCF) instituiu um grupo ad hoc para traçar as linhas mestras para a aplicação do HACCP. Com base no material desenvolvido por esse grupo de trabalho, o NACMCF publicou, em novembro do mesmo ano, um documento intitulado Princípios HACCP para a Produção de Alimentos. Nesse documento, o NACMCF define HACCP como sendo "um enfoque sistemático para ser usado na produção de alimentos, como forma de garantir sua inocuidade". Apoiou seu uso pela indústria e agências governamentais de inspeção e controle, descreveu os sete princípios do HACCP, e estabeleceu um "guia para o desenvolvimento de um plano HACCP para qualquer tipo de alimentos".
Os sete princípios HACCP foram profunda e detalhadamente estudados pela indústria e agências governamentais e, em geral, os conceitos foram aceitos. Entretanto, com a discussão do assunto em várias reuniões, cursos e seminários, a utilidade de avaliação do perigo microbiológico - incluída como parte da descrição do Princípio 1- foi questionada. A avaliação do perigo consistia na classificação do alimento de acordo com características gerais de risco, para depois enquadrá-lo numa categoria. Os problemas incluíam diferenças de interpretação das características gerais dos fatores de risco, além do fato de que não havia uma conexão direta entre o Princípio 1 (análise de perigos) e o Princípio 2 (determinação dos pontos críticos de controle).
Subseqüentemente, o Comitê de Higiene dos Alimentos do Codex Alimentarius instituiu um grupo de trabalho para estudar o tema HACCP. Esse grupo de trabalho elaborou um relatório sobre a utilização do HACCP, no qual se fazia uma abordagem ligeiramente diferente para a aplicação dos princípios. Essa abordagem incluía uma análise dos perigos, sua identificação e as medidas preventivas (Princípio 1), além da

Leia também
Os requisitos de segurança para os vaporizadores
A IEC 60335-2-101, da International Electrotechnical Commission (IEC), dispõe sobre os requisitos de segurança dos vaporizadores elétricos para uso doméstico e análogo, com tensão nominal não sendo maior do que 250 V. O transporte rodoviário e o recebimento de hidróxido de sódio
A NBR 16310 aplica-se às empresas que realizam a expedição, o transporte e o recebimento de hidróxido de sódio (soda cáustica) quando é comercializada em solução com aproximadamente 50% de NaOH, ou em menores concentrações; o transporte é realizado a granel no modal rodoviário; o carregamento do tanque de transporte é realizado por meio da abertura da tampa da boca de visita de sua parte superior; e o descarregamento do tanque de transporte é realizado por meio da válvula de saída da parte inferior. A inteligência emocional no mundo corporativo
Muito mais do que um bom currículo, as empresas procuram por profissionais equilibrados e capazes de lidar com situações difíceis do cotidiano. As vantagens da água de reuso
Uma medida que começa a ganhar adeptos no meio corporativo por ser ecologicamente correta é o reuso de água. PALESTRA GRATUITA: NORMALIZAÇÃO TÉCNICA
Entre em contato para agendar uma palestra sobre normalização técnica em sua empresa, universidade, faculdade, associação, etc.
Untitled Document Qualidade: Notícias 23/10/2014 22:06:49
Os requisitos de segurança para os vaporizadores 21/10/2014 20:12:38
PALESTRA GRATUITA: NORMALIZAÇÃO TÉCNICA 20/10/2014 20:06:43
Instalações de distribuição de energia elétrica da rede pública 19/10/2014 19:26:19
Curso: Filtros de Harmônicos em Sistemas Industriais 16/10/2014 20:47:50
Os requisitos para cabos de potência e condutores isolados sem cobertura 15/10/2014 19:07:06
Curso pela internet: Curtos-Circuitos e Seletividade em Instalações Elétricas Industriais 14/10/2014 21:05:19
Os requisitos e ensaios para as escadas portáteis 12/10/2014 19:57:04
A prevenção de incêndios e explosões por poeiras na fabricação, processamento e manuseio de sólidos particulados combustíveis 09/10/2014 20:18:42
Consumo de agrotóxicos no Brasil é muito grande e esses produtos precisam cumprir as normas técnicas 08/10/2014 20:52:06
Os requisitos e ensaios para as escadas portáteis
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Qualidade: Artigos 23/10/2014 22:02:28
São ilegais os serviços de reparos de equipamentos para atmosferas explosivas fora dos requisitos normativos
43 visualizações
14/10/2014 21:02:38
Cumprir as normas técnicas é o primeiro passo para o processo de gestão de riscos em uma empresa
455 visualizações
12/10/2014 19:59:28
Para uma melhor desempenho, as telhas de fibrocimento têm que cumprir as normas técnicas
548 visualizações
08/10/2014 20:49:05
As normas técnicas para o inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE)
724 visualizações
07/10/2014 21:45:37
Cabos de aço são obrigados a cumprir a norma técnica para evitar riscos
728 visualizações
02/10/2014 20:31:39
MASP: solucionando os problemas de natureza administrativa
949 visualizações
01/10/2014 20:31:27
Equipamentos eletromédicos têm que cumprir as normas técnicas
971 visualizações
25/09/2014 19:45:42
Para vender muito, é preciso vender maus serviços?
1269 visualizações
Qualidade no Mundo 06/09/2014 11:33:07
Primeiro robô tipo cyborg 06/09/2014 11:30:15
Elogios à qualidade 06/09/2014 11:26:42
Enxame de mil mini-robôs montam formas 06/09/2014 11:24:14
Cientistas criam tatuagem que recarrega bateria com suor 06/09/2014 11:21:59
Nova norma ISO 14046 para a Água 06/09/2014 11:20:19
Primeiro esboço da norma da ISO para comunidades sustentáveis atinge estágio CD 05/08/2014 17:37:31
ISO 14001 - Dê a sua opinião! 01/08/2014 10:43:20
Nova norma ISO 14046 para a Água
Untitled Document
Jornal BQInternational
Notícias Internacionais e nacionais sobre Qualidade, Gestão de Qualidade, normalização e meio ambiente.
RSS Banas Qualidade, seu portal de Gestão de informações da Qualidade
Mantenha-se informado em nossos Artigos e publicações diárias da Qualidade
Editorial Revista Banas Qualidade
O melhor e mais completo conteúdo do segmento
Qualistore
A Loja do Gestor O maior acervo de livros e publicações segmentadas à Qualidade.
Untitled Document

Destaques Loja Virtual Qualistore - Mais de 3.500 produtos para os profissionais da Área da Qualidade e Gestão.

Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Descobrindo uma Base Comum
R$ 55,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Mudança Organizacional (ISBN 8573035870)
R$ 65,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Gerenciando suas Forças (ISBN 8573035358)
R$ 55,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Medindo e Gerenciando Riscos Operacionais em Instituições Financeiras (ISBN 8573033576)
R$ 90,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Usando o Arena em Simulação ( ISBN 8598254045)
R$ 55,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Gestão pela Margem (ISBN 8573034602)
R$ 65,00