EDILA  |  LOJA VIRTUAL  |  TUDO SOBRE CERTIFICAÇÃO  |  PRÊMIO GESTÃO BANAS  |  BANAS METROLOGIA  |  FALE CONOSCO  |  EXPEDIENTE
Banas Qualidade
Portal Banas Qualidade
Revista Banas Qualidade
Qualidade em Destaque
Notícias da Qualidade   |   Artigos da Qualidade   |   Jornal BQInternational   |   Guia de Empresas   |   Prêmios   |   Cursos de Qualidade
Untitled Document

PORTAL BANAS QUALIDADE :: CONTEUDO » Revista
Sistema APPCC: garantindo a produção de alimentos seguros =ht

A indústria alimentícia possui um processo complexo, integrado e global de produção, processamento, distribuição, vendas e consumo e vem tendo um crescimento vertiginoso nos últimos anos no mundo todo, devido aos hábitos de consumo das pessoas que estão mudando drasticamente, cada vez mais comendo fora de casa. Nos grandes centros, cerca da metade das refeições é servida dessa maneira e, quando comem em casa, querem alimentos como menos trabalho e tempo para serem preparados, além de qualidade e preços justos. Dessa forma, em 1959, a Pillsbury Company desenvolveu o sistema de segurança alimentar Hazard Analysis Critical Control Points (HACCP), em cooperação com o exército americano, em resposta a uma solicitação da Nasa para garantir que os alimentos consumidos no espaço fossem totalmente seguros. No Brasil, o sistema passou a ser obrigatório e a se chamar Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC). É um sistema preventivo que busca a produção de alimentos inócuos, estando embasado na aplicação de princípios técnicos e científicos na produção e manejo dos alimentos desde o campo até a mesa do consumidor.

O aumento de casos de toxinfecções alimentares tem levado vários países a se tornarem mais exigentes quanto à segurança na produção e na importação de alimentos, e por isso é necessário dar ênfase ao desenvolvimento da implementação de medidas preventivas para o controle desses riscos, com a colaboração de autoridades governamentais e os setores responsáveis da indústria de alimentos. Com o sistema APPCC ou HACCP surgiu um processo científico que representa o que há de mais moderno na atualidade, e que tem por finalidade construir a inocuidade nos processos de produção, manipulação, transporte, distribuição e consumo dos alimentos. Os países do Primeiro Mundo começaram a aplicar o sistema HACCP para assegurar a inocuidade do pescado, carnes e derivados e, num futuro muito breve, esse sistema deverá se estender a todos os alimentos.
Ellen Lopes, diretora da Food Design, explica que, em função da demanda de verificação da veracidade das informações dos estudos de HACCP, se torna necessário estabelecer sistemas de certificação ou validação. Dessa forma, a ABNT instalou uma comissão responsável por estabelecer uma norma brasileira para servir de base para certificação, a qual será equivalente às normas já publicadas em outros países.
Na sua opinião, isso se tornou fundamental para o setor alimentício, pois, em março de 2001, o New York Times publicou um artigo mostrando a crescente preocupação das autoridades americanas com o problema de toxinfecções alimentares. Esse número vem crescendo, a despeito da evolução tecnológica, especialmente devido a novos hábitos incorporados pela população: maior consumo de alimentos crus e uso de microondas, entre outros. Ainda segundo esse artigo, o Center for Disease Control and Prevention (CDC), estima que nos Estados Unidos, a cada ano, se registram em torno de 5 mil mortes, 32 mil hospitalizações e cerca de 76 milhões de pessoas afetadas por doenças veiculadas por alimentos.

"Além da perda de vidas humanas, há que se considerar os aspectos econômicos decorrentes. Para ilustrar a gravidade desse aspecto, podemos ver na Tabela 1 uma estimativa do Food and Inspection Service, dos Estados Unidos, sobre as perdas ocasionadas por doenças de origem alimentar provocadas por contaminação com patógenos. As cifras atingem a ordem de 1,1 milhão a 4,1 bilhões de dólares por ano, e isso considerando somente produtos derivados de carne e frango", acrescenta.
Ellen informa que a implantação efetiva desse sistema vem sendo exigida pelos maiores importadores de alimentos do mundo e é considerada pelo Codex Alimentarius como a melhor ferramenta de gestão da segurança dos alimentos. Vale notar que essa instituição é reconhecida pela Organização Mundial do Comércio como o órgão responsável pela normalização de alimentos. "Relatório de reunião recente da Organization for Economic Cooperation and Development, uma organização não-governamental que congrega 30 países-membros, entre os quais os países da Comunidade Européia, apontou que a adoção do sistema HACCP, além de ser um método para melhorar a segurança dos alimentos, é considerado um dos requisitos mais importantes para acordos bilaterais ou multilaterais, quando se deseja garantir a equivalência entre sistemas de controle e inspeção de alimentos. O Canadá, os Estados Unidos e a Comunidade Européia, os maiores países importadores do mundo, estão exigindo tanto dos fabricantes locais como dos de produtos importados que o HACCP seja implantado. Em alguns segmentos, como no caso dos pescados e produtos cárneos, produtores que não têm infra-estrutura ou capacidade de implantar o HACCP têm seu acesso bloqueado a vários mercados."
No Brasil, a exigência de implantação do HACCP é legal para pescados desde 1993 e para outros produtos de origem animal desde 1997 e 1998. No âmbito do Ministério da Saúde a sua exigência como instrumento de fiscalização sanitária foi estabelecida já em 1993. "Uma conseqüência desse cenário é a demanda por sistemas de avaliação e verificação da veracidade das informações trocadas por importadores, exportadores, autoridades legais e organizações em geral. A sistemática de avaliação mediante auditoria é considerada a forma mais eficaz para determinação de equivalência entre parceiros comerciais, capaz de prover confiança às partes envolvidas", assegura a consultora.

Ver Tabela 01

Sete princípios
Em 1989 o National Advisory Committee on Microbiological Criteria for Foods, (NACMCF) instituiu um grupo ad hoc para traçar as linhas mestras para a aplicação do HACCP. Com base no material desenvolvido por esse grupo de trabalho, o NACMCF publicou, em novembro do mesmo ano, um documento intitulado Princípios HACCP para a Produção de Alimentos. Nesse documento, o NACMCF define HACCP como sendo "um enfoque sistemático para ser usado na produção de alimentos, como forma de garantir sua inocuidade". Apoiou seu uso pela indústria e agências governamentais de inspeção e controle, descreveu os sete princípios do HACCP, e estabeleceu um "guia para o desenvolvimento de um plano HACCP para qualquer tipo de alimentos".
Os sete princípios HACCP foram profunda e detalhadamente estudados pela indústria e agências governamentais e, em geral, os conceitos foram aceitos. Entretanto, com a discussão do assunto em várias reuniões, cursos e seminários, a utilidade de avaliação do perigo microbiológico - incluída como parte da descrição do Princípio 1- foi questionada. A avaliação do perigo consistia na classificação do alimento de acordo com características gerais de risco, para depois enquadrá-lo numa categoria. Os problemas incluíam diferenças de interpretação das características gerais dos fatores de risco, além do fato de que não havia uma conexão direta entre o Princípio 1 (análise de perigos) e o Princípio 2 (determinação dos pontos críticos de controle).
Subseqüentemente, o Comitê de Higiene dos Alimentos do Codex Alimentarius instituiu um grupo de trabalho para estudar o tema HACCP. Esse grupo de trabalho elaborou um relatório sobre a utilização do HACCP, no qual se fazia uma abordagem ligeiramente diferente para a aplicação dos princípios. Essa abordagem incluía uma análise dos perigos, sua identificação e as medidas preventivas (Princípio 1), além da

Leia também
Guia de segurança no aterramento de subestação em ca
Editada em 2013, a IEEE 80 é um guia para o aterramento de subestações de corrente alternada ao ar livre, tanto convencionais como isoladas, incluindo a distribuição, a transmissão e a geração de subestações em plantas. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) 2015
A 6ª edição dos Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) Brasil 2015, que reúne 63 indicadores com o objetivo de traçar um panorama do país, em quatro dimensões: ambiental, social, econômica e institucional. Concreto compactado com rolo
A NBR 16312-2 e NBR 16312-3 estabelecem os procedimentos de preparação do concreto compactado com rolo (CCR) para aplicação em barragens. A metodologia prevista visa obter um material possível de ser analisado e fornecer parâmetros adequados para aplicação da técnica em campo, sendo estabelecida a metodologia recomendável para produção de CCR em laboratório, de forma a obter um material possível de ser analisado. Investir em saúde e segurança do trabalho diminui a carga tributária das empresas
É sempre positivo estimular as empresas a investirem na saúde e segurança dos trabalhadores. O Fator Acidentário de Prevenção (FAP) é uma destas tentativas governamentais que, para alguns é um intuito puramente arrecadatório e para outros uma criação a fim de estimular as empresas a investirem mais em segurança do trabalho e diminuir no pagamento de alguns tributos. Os mais completos e-books para ajudar na sua formação profissional
A Target e a American Society for Quality (ASQ), maior entidade mundial na área da Qualidade, firmaram uma parceria que prevê a venda dos e-books online da ASQ no seu site. São mais de 200 publicações que estão sendo oferecidas a fim de fornecer ao mercado uma ótima opção para a formação profissional das pessoas.
Untitled Document Qualidade: Notícias 29/06/2015 18:49:40
Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) 2015 24/06/2015 17:24:17
Os mais completos e-books para ajudar na sua formação profissional 23/06/2015 19:35:49
O gestor precisa ter cuidado com os planos de demissões 22/06/2015 21:30:33
A qualificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração 17/06/2015 16:55:25
O cálculo da resistência térmica em cabos elétricos 16/06/2015 20:28:30
Livro: Tragédias, crimes e práticas infrativas decorrentes da não observância de normas técnicas brasileiras - NBR 15/06/2015 19:45:59
Os acessórios para transformadores e reatores 10/06/2015 17:17:02
Os requisitos para os fios magnéticos 09/06/2015 17:03:42
Os requisitos para os detectores de gás inflamáveis e oxigênio 08/06/2015 17:29:56
Cabos de fios de cobre com núcleo de alumínio
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Qualidade: Artigos 25/06/2015 19:24:42
A lei de Sevareid e a fábrica de paradigmas
55 visualizações
18/06/2015 19:41:52
As novidades da nova edição da norma sobre descargas atmosféricas
92 visualizações
11/06/2015 17:49:43
Evite riscos de explosões: deve-se cumprir a norma de inspeção de redes de distribuição interna de gases combustíveis
156 visualizações
11/06/2015 17:44:12
A calibração de dispositivos para medição de torque estático
163 visualizações
03/06/2015 10:25:27
Acidentes do trabalho podem ser cadastrados conforme a norma técnica
233 visualizações
11/05/2015 17:56:26
Normas técnicas gratuitas: Target apoia a iniciativa da ABNT, Fiesp e Inmetro
416 visualizações
05/05/2015 20:29:21
A era dos extremos
459 visualizações
05/05/2015 20:22:52
O Rei está nu
439 visualizações
Qualidade no Mundo 12/06/2015 12:09:24
Nanomanufatura Torna Aço 10 Vezes Mais Forte 12/06/2015 12:07:27
Finlândia ou tigres asiáticos: qual é o melhor modelo de educação 12/06/2015 12:05:35
9 maneiras de engajar seus diretores na qualidade 12/06/2015 12:04:14
ISO 14001:2015 FDIS aguardado para junho 12/06/2015 12:02:32
Relatórios corporativos fácil com a nova ferramenta on-line 12/06/2015 12:00:57
3D - Fabricação do futuro 12/06/2015 11:59:28
Limpando a cozinha 12/06/2015 11:57:41
A revisão da ISO 22000 na gestão da segurança alimentar está em andamento
Untitled Document
Jornal BQInternational
Notícias Internacionais e nacionais sobre Qualidade, Gestão de Qualidade, normalização e meio ambiente.
RSS Banas Qualidade, seu portal de Gestão de informações da Qualidade
Mantenha-se informado em nossos Artigos e publicações diárias da Qualidade
Editorial Revista Banas Qualidade
O melhor e mais completo conteúdo do segmento
Qualistore
A Loja do Gestor O maior acervo de livros e publicações segmentadas à Qualidade.
Untitled Document

Destaques Loja Virtual Qualistore - Mais de 3.500 produtos para os profissionais da Área da Qualidade e Gestão.

Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Housekeeping 5S - Cinco pontos chaves para o Ambiente da Qualidade Total (ISBN 8589824543)
R$ 45,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Redução do Tempo de Setup (ISBN 8589824306)
R$ 20,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
MRP II - Planejamento dos Recursos da Manufatura (ISBN 8589824462)
R$ 15,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Como Aumentar a Produtividade no Armazém (ISBN 8589824381)
R$ 30,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Gerenciando a Manutenção Produtiva ( ISBN 8598254185)
R$ 45,00
Temas Ligados à Qualidade: Artigos, Notícias, Normas Nacionais e Internacionais, Ferramentas da Qualidade, Gurus da Qualidade, Cursos da Qualidade
Usando o Arena em Simulação ( ISBN 8598254045)
R$ 55,00