QUALIDADE – Internacional

14/06/2018

Planejando melhorias para a quarta revolução industrial

Estamos agora em transição para a fase da quarta revolução industrial:
Big Data, a Internet das coisas,  Inteligência artificial e Máquina autônomas. No contexto dessas mudanças, temos divergencias  econômicas e desafios políticos através dos quais uma organização deve traçar sua direção estratégica.

Para permanecer resiliente, a organização deve melhorar seus produtos, processos e pessoas para mitigar riscos, desafios, e perceber as oportunidades  que se apresentam. Isso exige
um plano operacional formal, estrategico e alinhado com a melhoria contínua. O plano
deve se concentrar em manter congruência entre produtos, processos e pessoas.

O alinhamento destes "Três Ps" garantirá que os produtos e serviços sejam produzidos utilizando sistemas eficazes de processos, por pessoas que têm as habilidades certas, competências e capacidade.

O uso de ferramentas como PESTLE (político, econômico, social, tecnológico, legal e ambiental), SWOT (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças), HOSHIN KANRI (é uma maneira pela qual uma organização pode gerenciar e executar sua estratégia), fluxo de valor e mapeamento de processos fara com que a organização tenha uma imagem clara de onde as melhorias devem ser implementadas.

Priorizando a melhoria dos projetos, haverá garantia de que organização utiliza seus recursos efetivamente. A implementação do plano de melhoria deve utilizar metodologias Six Sigma e os problemas as técnicas apropriadas. É essencial que esta melhoria agregue valor, mantenha a congruência entre os "Três Ps", e mantenha a direção estratégica do negócio de como ele se dirige para seu "estado futuro".

Indulis L. Svikis, CQP- MCQI, Diretor da Qualsure Associates Ltd. Publicado na Quality World-abril de 2018

voltar